Acerca de mim

A minha foto
Cristão, oriundo de uma família conservadora, praticante e de valores religiosos. Sou crente, temente a Deus, pecador, observador do fenómeno divino!. Respeito as opções de cada um, não faço diferença de crenças, e partilho a fé na diversidade de valores cristãos. Pratico a humildade, a solidariedade,e a fraternidade, dou a face se tiver que ser, dou a camisa do corpo ao irmão carente. Sou solidario, e com uma visão da vida muito pessoal, procurando ser sempre respeitador, e não violador de consciências, ou das dignidades. Nao quero ferir ninguém, tão sómente ser justo, correcto, e sensível no que penso, como escrevo, e como me dirijo as pessoas, como inter-actuo com elas. Não faço da vida um problema, e não faço do meu amor-proprio o centro do universo. Tenho a consciencia que não estou só neste mundo, e que todos são meus irmãos em Deus. Faço deste espaço, o meu ponto de encontro, de ideias, pensamentos, dúvidas, procurando sempre têr a minha alma gemea falando comigo. Não temo a critica, não tenho a pretensão de sêr dono da verdade, pelo contrário, expresso sentimentos, opiniões, e trabalho essencialmente os afectos, que me são tão caros. (mikeaf.antonio@hotmail.com)

_____________________________________

*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/
______________________________________________________________________

Legenda ............

_________________________________________________

Texto Escrito
- Em AZUL --------------> Excertos da Biblia
- Em PRETO ------------> Texto original de Antonio Ferreira!!!.
- Em VERMELHO --------> Citações de outros Autores!.
- Em VERDE ESCURO --> Pensamentos de António Ferreira
_________________________________________________

**************************** NOTA AOS LEITORES ****************************

A TODOS OS MEUS LEITORES MUITO OBRIGADO PELO VOSSO ACESSO.
É GRATIFICANTE SENTIR ESSA RECOMPENSA.
TUDO O QUE ESCREVO É DO CORAÇÃO, PURO, GENUINO, SEM HIPOCRISIA OU CINISMO, SÓ O AMOR, A PAIXÃO DE VIVER ME ANIMA, ME DÁ ESTE GOSTO DE PASSAR AOS OUTROS OS MEUS SENTIMENTOS, AFECTOS, AMARGOS DE VIDA, NUMA PARTILHA QUE QUERIA SAUDAVEL, E JUSTA.
SEI QUE VOU AO ENCONTRO DE MUITOS CORAÇÕES MAGOADOS, TRISTES, DESILUDIDOS, E EU COMO SER HUMANO COMUM, NAO FUJO À REGRA.
PODEM SE ASSIM O ENTENDEREM ADICIONAR SEU ENDEREÇO NO MEU MSN.
QUERIA TAMBEM CHAMAR A VOSSA ATENÇÃO PARA O FACTO DE EU ESCREVER OUTRO BLOG, TAMBEM ELE DE AMOR, E AFECTOS DO CORAÇÃO, QUE SE CHAMA


------- >>>>>>> voarnopensamento.blogspot.com. (SER OU NÃO SER)

PARA ACEDER A ESSE BLOG BASTARÁ CLICAR EM CIMA DA IMAGEM QUE SE ENCONTRA NO TOPO DO LADO ESQUERDO DO VOSSO ECRÃ.
GRATO PELA VOSSA AMIZADE.

Reflectindo......

Quanto ao periodo de transição, que ora vivemos, se afirma que os novos conhecimentos não serão dados às pessoas mesquinhas, ou viciosas como ladrões, alcoólatras e aqueles que não desejam se mudar para melhor.
Esses terão que deixar o nosso planeta.!!!
A informaçao terá um papel preponderante na evolução, porque é um tempo de união e cooperação que se inicia na Terra.
As pessoas sofrem ou são infelizes por não viverem correctamente. Elas precisam ser boas.
Se alguém lhe bater, abrace quem o feriu.
Se fazem voce sentir-se envergonhado, não espere por desculpas, peça-as voce.
Se o insultam e humilham, ame-os do jeito que são.
Essa é relaçao do amor, da humildade e do perdão, que deve ser observada por todos.
Amar uns aos outros, essa é a lei!!!!

Ave Maria e..... Samba!!!! ( Lindo!!!! )

O meu dia, eu quero abençoado, meu Senhor e meu Deus!

O meu dia, eu quero abençoado, meu Senhor e meu Deus!

(uma oração para meu dia)


Abençoa-me Senhor Jesus, ajuda-me a vencer minhas
dificuldades pelo trabalho.

Ajuda-me a que pela honradez eu supere as minhas
dificuldades materiais, alimenta a minha esperança, fortalece a minha fé!
Pela minha fé e vontade de vencer, ajuda-me a superar o
stress emocional de momentos menos bons.

Ajuda-me Senhor, eu preciso de TI!
Afasta de mim todos aqueles que se aproximam do meu ser com
intenções menos puras, os de espirito truculento, os invejosos, os maldizentes, os que por
qualquer razão têm seus espíritos magoados!
Ajuda-me meu Deus, meu Senhor, a ser justo para com os
outros, incentiva-me a ser justo, de boa palavra, de bom pensamento.

Não permitas meu Senhor e meu Deus que eu julgue errado, seja preconceituoso.

Não permitas que eu ofenda, eu, quero ser respeitador.
Abençoa minhas atitudes, inspira-me o pensamento, dá-me
as palavras certas para cada ser que me aborda. Ajuda-me a compreender os
irmãos.
Te suplico Senhor e meu Deus, que todas as minhas
palavras sejam o reflexo do bom senso, da correcção e amor ao próximo.

Que eu seja entendido, que eu seja respeitado!
Por tudo isto, pela fé que eu tanto luto por fortalecer,
eu Te peço meu Senhor e meu Deus..., ajuda-me a vencer as minhas dificuldades
financeiras, todas as minhas amarguras, tristezas e sentimentos negativos.

Que não me falte a saúde, que não me abrande a energia, permite Senhor que eu Te
encontre nos escombros da minha alma. Deixa-me..., permite que eu Te sinta
em mim.
Que pelo trabalho eu dignifique a minha vida, a minha
conduta e me faça exemplo aos demais.
Abençoa meus passos, faz de mim um homem de bem, e com
paz e amor no coração.
Bendigo ao Senhor, porque Ele em mim faz maravilhas!.
(oração pessoal de António Ferreira)

domingo, 6 de dezembro de 2009

Apatia..., Ausência...


Tenho a sensação do vazio, de algo que me consome em lume brando.
Nos meus últimos tempos o meu trilho é uma linha em zig-zag, um linha acentuadamente curva.
Procuro o equilíbrio, não quero tombar sob sensação do extremo sacrifício. Eu sinto a confusão do sentimento difuso, do afecto estraçalhado, eu sou o monumento à confusão.
Não sei bem que fazer, não sei bem que dizer, não sei bem onde ir, que pensar..., mas existo, isso sei, existo!!!.
Uma apatia me invade, a modos que uma ausência de mim mesmo, algo me confunde o sentimento, e ainda não recuperei de afectos exacerbados, de paixões intensas. Não aceitei em mim que algo que eu achava eterno ( e acho....), termine, talvez tenha cometido o erro de acreditar, de julgar possível.... mas provavelmente me enganei.
A intensidade me traiu, não mais que isso, e sinto no corpo gravado a fogo todos os traços de um afecto que não me abandona, e nem sei se será bom ou mau.
Vivo a apatia, a ausência de do "sêr", talvez eu não exista na situação de paixão vivida, talvez eu tenha vivido a dimensão dos deuses, talvez me tenha sido concedido o privilégio de experimentar a felicidade paradisíaca..., e eu não me apercebi disso.
O regresso à origem é penoso, e eu que queria estar no paraíso.... sim, ele existe, eu vivi, eu senti, mas não me foi dado esse privilégio, pois forçado fui a regressar à "terra", aquela onde vivo neste momento a ausência, o vácuo de um sentimento que descobri, vivi, suportei bem, me fez bem, e que agora tenho que me habituar a pensar que tudo isso se acabou.
Eu sou a ausência, eu sou o vácuo.... a todo o custo procuro preenche-lo, atulha-lo de tudo quanto é bom, de tudo quanto me faz bem, e para isso tenho a companhia grata de amigos(as), que me enchem o coração de coisas boas, de afectos despretensiosos, que mais não de que o elixir, o re-tempero de um "buraco", de um enorme "buraco" que teimosamente ocupa o meu universo de sentimentos.
Está difícil, não é fácil retomar, aprender a não ter o que se quer, gosta e ama..., mas seguramente vou sentir o amor, a paixão que todos estes amigos(as) se esforçam por me dar, e sinto que estão conseguindo!.
Bem Hajam!!!
Deus é bom, não abandona seus filhos!!!.
Eu vos adoro, amigos(as), vós sois o porto de refúgio, eu sinto-vos, eu gosto de vocês.
Um abraço em vós.
.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Esta Paz Que Me Foge...


Os meus dias vão tranquilos, numa paz que nem eu sei descrever.... vivo o silêncio do coração, do sofrimento abafado, aligeirado pela alegria de alguns bons amigos(as).
Por vezes choro, por vezes abstraio, numas outras agonizo, em outras ocasiões encolerizo... porque???!!.
A vontade do martírio as vezes me assola, a vontade da angustia me atormenta varias vezes....choro a momentos a desdita, o sentido do meu "norte" desviado.
Tenho a consciência de que não fora alguns amigos(as), eu talvez estivesse numa depressão, numa"fossa" de sentimentos, de dores malditas.
Procuro o auxilio do céu, e digo-vos, sinto-o, tenho a sensação forte do seu toque em minha pele, mas eu sou de amor, de desejo , paixão, e todos os dias sinto a pele fresca, o coração batendo, mais controlado.
A tristeza está em mim, a ausência faz parte de mim, o meu "norte" está ao avesso, a desorientação me magoa, faz-me sentir um naufrago em terra, um sem rumo, uma "porção" de gente que já o foi ou talvez não, se calhar nunca o tenha sido..., provavelmente fui sempre uma "coisa", aquele objecto idiota que faz sempre jeito ter à mão.
O sentimento maléfico me assola a espaços, faz com que eu tema por mim, mas resisto à tentção fácil do mal, e os meus amigos me dão o apoio que tanto preciso.
Choro, a falha de meus sentimentos, a minha criatividade perdida, o investimento de amor no amor, mas nunca me arrependo do que fiz, pois só lamento do que não fiz.
Continuo a viver a lembrança de um bem que já não tenho, de um bem que partiu, que não mais me pertence..., choro essa sorte, esse desgosto, a sensação de que pela paixão que me cegou, e não vi o terreno falso que pisei, mas vivi, senti felicidade.... choro, e sempre o farei, sempre que o meu coração mo peça, o amor transborde, a saudade me afecte, e a alegria de viver esteja longe de mim.
Queria ser especial, ter a capacidade de "desligar" de tudo que magoa, como quem desliga o interruptor da luz..., mas não consigo, não sou capaz, pois sou frágil, sensível, e não posso esquecer a alegria, os locais, os gestos, os toques de pele, as palavras, as "danças" de ventre que fizeram da minha vida a razão de eu sonhar com amor, felicidade vivida, hoje tão arredia.


------------------------------------------------

SALMOS 37 (Hebr. 38)

9 - Ao extremo enfraquecido e alquebrado,
Agitado o coração, lanço gritos lancinantes.

10 - senhor, diante de Vós estão todos os meus desejos,
E meu gemido não Vos é oculto.

11 - Palpita-me o coração, abandonam-me as forças,
E me falta a própria luz dos olhos.

12 - Amigos e companheiros fogem de minha chaga,
E meus parentes permanecem longe.
.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Dores de Amores....Duras Que São!.


Sofrer por amor é algo impossível descrever, nem tão pouco saber explicar.
As dores, a angústia, a sensação de abandono, a tortura do sentimento de rejeição, é algo que não se descreve, somente se sente, e nada mais.
Essas dores, todos nós sabemos avaliar, sabemos dar valor, porque de uma forma o de outra, já a vivemos em menor ou maior grau...., por assim dizer, somos "doutores" nessa matéria.
Tenho para mim que são provavelmente mais insuportáveis que maleitas físicas, e com a agravante de que não há pastilha para curar, ao contrário das dores do corpo.
A vontade de morrer que por vezes nos assola, a vontade de não comer, não dormir, se isolar, e sentir o mundo desabar..., é horrível, não se descreve, sente-se.
Nunca julgarei, nunca opinarei sobre as dores do coração abandonado, nunca, porque cada um as sente na intensidade, que é sempre a razão directa do amor, da paixão com que esse amor é vivido.
Tenho quase a certeza de que são mais que muitos que assim vivem, sofrendo as amarguras de um amor não aceite, em ruptura, que sempre deixa amarguras eternas em nossos corações.
Para todos eles, esses seres na sua maioria anónimos, eu dou a minha soliriedade, o meu conforto, com a consciência do quanto é difícil suportar as dúvidas, as ruptura que o amor por vezes nos sujeita.
Nestes momentos, em que nada nos consola, nada nos faz sorrir, e as nuvens negras tentadoras demoníacas que sobre nós pairam, dão-nos a sensação de que nos maltratando, seremos justiçados, devemos sempre procurar refúgio no colo amigo de alguém que possa entender a dor, afagar a nossa face dormente de choro, e nos de as palavras cirúrgicas que nos façam ver mais mundo conforto para além do mundo que parece ruir nestes momentos.
A Deus, ser todo misericordioso, omnipotente, omnisciente, omnipresente, eu suplico a ajuda, o conforto, e a visão de que a vida não termina ali.
A Ti Deus bom, que tão bem desejas a teus filhos, não permitas que eles sofram por amor, sejam rechaçados, desprezados, esquecidos ou ate mesmo usados...., não deixes que neles se instalem a sensação da inutilidade, o vazio, a dor de rejeição.
Conforta-os, dá-lhes perspectivas, visão, e a força de pelo menos não se sentirem mesquinhos.
Não permitas Deus de amor, que o amor que nos ensinaste a viver, e que deveria ser razão de alegria, se transforme no horror, no abandono, no mal-querer, no ciume, em tudo aquilo que pode fazer de nós humanos algo parecido com o estado animal selvagem.
Nestes momentos, em que sentimos a nossa dignidade tão ofendida, em que nos assalta o menosprezo por nós mesmos, não deixes Senhor Deus, que teus filhos sofram. Dá-lhes a serenidade, a resignação e tolerância nos casos irremediáveis, e a força, a coragem de suportar as convulsões nas situações que ainda sejam reversiveis. Ajuda-os, conforta-os, não os abandones, afinal amar, é Teu desígnio, é a razão do nosso viver, e não do nosso sofrimento.
Queria pedir-TE, especialmente pela Elidiana Onofre, que sofre a dúvida, a amargura, o desconforto de um amor. Não permitas que ela sofra, sinta a dúvida, seja magoada no amor que ela tanto deseja puro.
Ajuda-a Senhor a manter o seu propósito de pureza, de castidade, e que isso não seja factor de não amor, mas sim de vontade, firmeza, no amor que ela quer forte e bem desejado.
Faz da Elidiana, o exemplo de amor, de felicidade, e ajuda-a a encontrar em cada momento a tranquilidade, o bem amar, o ser desejada e respeitada nas suas opções de amor.
Abençoa esse amor, fortalece-o, e não permitas que o sofrimento se instale na Elidiane, faculta-lhe a Tua luz, a serenidade e a visão da plenitude do amor em sua vida.
Ámen!
.

domingo, 22 de novembro de 2009

Desertos de Vida...... Minha!!!!.


O meu deserto, que queria eu, não fosse de areias escaldantes povoados por lacraus, ratos do deserto, ou tempestades de areias, não... o meu deserto é autentico, é real, existe, está dentro de mim.
O vento desse deserto, varre meu corpo, gela-me as mãos, cega-me os passos....por onde vou? porque vou? que faço eu aqui?
Não sei, não tenho resposta apesar de tanto a procurar...
Procuro a sinalética de vida, algo que me diga que caminho, que direcção, que poderei eu fazer?
Vou fazendo o caminho, deixo marcas na areia da minha vida, pegadas mas fundas aqui, outras mais suaves ali, umas mais a direito, outras nem tanto...
Curvado, como que tentando defender-me da agressividade das areias varridas pelos ventos da vida, que fustigam minha pele, eu curvo-me, eu escondo o rosto.... não quero pelo menos perder a visão, o olhar do caminho por onde vou, pois quero ver onde ponho os pés....as vezes não sei, não!!!.
Vivo na sede, a garganta seca de tanta agressividade, o pó entra nas narinas, os olhos ardem, por vezes sinto-me consumido pelos meus desertos de vida.... porque venho por aqui? porque não vou por ali? Não sei...., não tenho resposta.
Pelos meus desertos de vida, pelos meus desertos de afectos perdidos, as vezes encontrados, outras vezes de novo perdidos, eu caminho curvado, o ambiente é agressivo, a pele estala, os desertos são assim.... secos, hostis....nada neles sobrevive..... que faço eu aqui???
Por vezes, tenho miragens, parece-me ver um afecto aqui, outro ali..... puro engano, as miragens são cínicas, nos castigam, nos iludem...., fazem-nos parecer que agora sim, estamos salvos, mas logo constatamos que fracassamos.... o afecto não está lá, qual oásis de vida luxuriante no meio de tanta aridez.
Os meus desertos, são muitos, e eu tão pequeno para os vencer, encontrar o meu rumo exacto. Eu sou teimoso, obstinado, eu sou de luta... quebrado, vergado, quase invisual no caminhar...eu teimo, vou..., sei que o deserto ficará para traz no caminho das minhas hesitações.
Eu caminho, eu vou deixando pegadas na areia, elas vão sendo o único sinal de que passei por ali, que existo, que vou para onde não sei.... mas eu vou!!!.
Nestes meus desertos de vida, de afectos também, eu vou acompanhado da mão amiga de alguns seres humanos generosos, sensíveis, solidários que pacientemente me vão literalmente salvando desta caminhada dorida, dando-me a mão, "matam-me" a sede de afecto, me dizem o caminho, me tiram deste "areal" de vida afectiva quase deserta.
Continuo andando, olhando o horizonte curvo, ondulante das colinas de areia que ainda terei que vencer na minha vida....e com esperança, na companhia solidária das mãos amigas, que sempre me acolhem quando "ajoelho" na areia escaldante que as minhas lágrimas tentam em vão arrefecer....
Dói, vergado que seja, eu vou, seguirei o caminho árido, o deserto não é infinito, aliás nada é infinito, a não ser Deus, que eu sei me olha e acompanha, e talvez esteja a testar-me!!!!.
.

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Meus Amigos, Meus Irmãos São!!!!


Os meus tempos vão doridos, muito magoados, e procuro encontrar a resignação.
Luto tenazmente para sêr razoável, sensato, e aliviar a tristeza que me invade o peito.
As mágoas tão fortes que tenho vivido, provocaram em mim a modos que uma anestesia das lágrimas, elas secaram, não consigo chorar, e que bem me fazia.
O choro, terapia da dôr, a forma de o sofrimento sair da alma, a forma sagrada de refrescar a face aquecida pelo esfregar das mãos na agonia de um desgosto, é tão bom chorar!!!.
Eu não consigo já chorar, tenho a mágoa recalcada, latente, em seco, estou ausente, não penso, quase não existo.
Queria estar bem, estar em paz plena, olho o céu, e sinto um vazio, algo indecifrável, algo que me provoca um fogo lento, em acção branda, que me consome o interior.
Tenho amigos, teimosos como convém nestas situações, eles me dão a força, me dão a coragem, e que grato fico, por tudo isso..., não tenho como agradecer, porque só damos valor aos amigos quando vivemos isolados, desamparados, no meio de tanta gente ruidosa, que de tudo falam, menos de saber ouvir os outros.
É bom sêr ouvido, é bom "despejar" o que nos vai na alma, é bom sentir que o que nos aflige ainda é algo que merece sêr ouvido.
Escutar é o segredo de uma boa amizade, é o "truque" para salvar alguém de uma depressão, e sei muito bem que é preciso sêr especial para saber escutar, e nós assim podermos dizer de nossos males.
Não ouvir criticas, não escutar juízos de valor, mas tão somente ser ouvido sem o temor do juízo rápido, feroz, taxativo de valores balofos, conservadores e tão tradicionais... é a melhor terapia para uma amizade pura, uma amigo bom, um anjo da guarda terreno, que nos faz sentir bem, nos expulsa os demónios da alma.
Bem hajam... não se cansem de mim, eu tanto preciso de vós!!!.
Até já!!!
.
---------------------------------------
.
Senhor Jesus, tu que és amor, e de amor nos falaste, escuta meu coração, e faz de mim a ferramenta com a qual moldarás a minha vida, não tenhas em conta os meus pecados, mas toda a minha natureza, que Sabes bem sêr boa, de bem fazer e bem desejar.
Ajuda-me a ser justo, sensato, e livra-me das dores, das mágoas que eu talvez tenha causado em mim próprio, quando busco a paz, o amor, e a felicidade...
Perdoa-me, e se assim tiver que ser, aceito o carregar o fardo das dores, magoas e tristezas que eu tenha provocado em mim próprio.
.

domingo, 15 de novembro de 2009

Meus Passos Erráticos, Cruz que Carrego!!!


Nesta noite, em que tento disfarçar a solidão que me invade, ouço a música debitada em decibéis para alem do que é normal.
Fujo de mim, não sei onde estou, sinto a cabeça rodando, como que atingida por objecto contundente..., que me aconteceu?
Tenho gente, muita gente mesmo em meu redor, umas jovens outras nem tanto, e todos sorriem, todos dão o seu melhor do seu corpo ao som dos acordes de música, debitada em tons infernais.
As luzes pululam, nervosas, como querendo que tudo acabe de repente..., os fumos saltam para a pista, trespassados pelos lazers coloridos.
Surgem imagens multimédia no espaço entretanto ocupado pelo fumo..., o frenesim é enorme, a agitação é muita, todos parecem estar possuídos pela sensação do " ...deixem-me, tenho pressa de viver...!!!!". E eu ali, tentando imitar, tentando não parecer mal..., eu só queria aliviar meu peito, sentir o arejo doce da brisa fresca que arejasse meus pulmões, e retirasse a pressão de meu peito.
E eu ali, tolo, procurando disfarçar a minha mágoa, aligeirar a solidão, e tanta gente, tanta gente ali saltando.
Dei comigo a imitar uns tantos passos de dança, tentar parecer "normal" no meu sofrimento, mas que difícil....
Incrível, simplesmente incrível....chorei enquanto dançava, chorei a minha cruz, a minha desdita.....eu estava ali a fugir de mim..., não estava integral no meio ambiente.
Meu corpo oscilava, meus pés me arrastavam, meus olhos vagueavam naquele espaço negro de fumo, pejado de luzes nervosas, agitadas por centenas de watts debitados, mas o meu peito, a minha mente, o meu ser estava longe, no vácuo de uma dor, que toda ela me consome a alma.
Eu estava mutilado, estava privado de algo, de um sentimento que o momento pedia... o meu amor!!!.
Quis esquecer, nem que fosse por uma a duas horas, queria viver, aligeirar a mágoa, mas não havia decibéis que me valessem, o ruído da minha dor, da minha mágoa, era bem superior ao prazer que eu procurava. Eu estava ali, como algo disforme, como algo que não existe, que é virtual, eu estava robotizado, mecanizado...não era eu, era algo menos eu.
Senti abandono, senti o que é estar só no meio a tanta gente aos pares, e eu ali sem par!!!.
Idiota, as vezes sou idiota, mas é bem aplicado, eu até mereço, porque a minha experiência de vida me devia dar outro alento, mas não, todo eu sou um problema, sou um monte de problemas.
O vazio, o estéril de uma atitude, e sentir que podia rebentar ali mesmo a guerra que eu estaria indiferente a tudo... eu estava a mais, faltava-me o que me faz bem, quem me faria ganhar sentido dos meus gestos.
Estou confuso, deprimido, e tudo em meu redor eu questiono...
Porque estou aqui, e não ali?
Porque sou sofredor e não um alegre ser?
Porque me acontecem coisas que eu não pedi?
Porque deixei que tudo em meu redor ruísse?
Não tenho fuga, não tenho alternativa, eu estou cercado, rodeado de problemas por todos os lados, eu sou a ilha, eu sou o degredo, eu sou fugitivo de mim mesmo.
Suplico-te Deus das minhas mágoas que não permitas eu me sinta mal, com vontade de me magoar, fazer-me mal a mim mesmo. Não permitas Deus.
Não tenho rezado muito nestes últimos tempos, não tenho tido alento para o fazer, pois estou absorvido pela dor que se apossou de mim como gangrena de minhas pernas, mas que não seja isso razão do meu penar, das minhas razoes para chorar.
Suplico-te, escuta meu falar, alivia a dor, ajuda-me a suportar, a enfrentar a montanha que tenho pela frente. Eu queria tanto vencer, e não tenho forças!!.
Eu sou aquilo a quem TU deste a cruz para carregar, o castigo que terei que viver, suportar. Te Peço Deus meu, que não seja essa cruz que tenho que carregar, a razão para que eu pense em me magoar de forma irreversível.
Eu sou de Deus, e sei que me escutas...., alivia-me, diz-me o caminho, aponta a direcção, eu preciso de TI.
Amém
.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Porque Tenho Que Sofrer??!!!!


Em Ti deposito as minhas dores, em Ti confio os meus desgostos, porque só Tu me darás a força que preciso para vencer.
Tu sabes Deus da minha esperança, quanto difícil foi a minha noite, quão duro foi ver o tempo não passar, ver os minutos alongarem-se, Tu viste a minha dor.
Tu sabes Deus da minha esperança, o quanto sofro, para estar em paz e felicidade comigo mesmo, e quantas vezes te lanço suplicas, preces, mas as vezes tenho a sensação que não me escutas.
Não me estou a queixar, só lamentar....!!!
Sei que não me abandonas, só que ás vezes me deixas mais só como querendo me experimentar. Eu entro em pânico, a solidão se abate sobre mim, e Tu sabes bem disso..., o choro é a minha companhia, é o meu desabafo.
Alimenta o meu corpo, da-lhe a força que ele precisa, não deixes que ele fique debilitado, pois só assim serei forte no espírito. Tu és a vida, e eu tantas vezes me esqueço.
Sabes Deus de esperança, ás vezes me esqueço de Ti, pois me envolvo nas questões terrenas, coisas inúteis de certa forma, fúteis, que nos afastam de Ti. Perdoa-me!!.
Dá a alegria de eu viver, permite que a paz me envolva, não deixes que a angustia me aconteça como nesta noite passada. Alivia-me, faz-me forte, ajuda-me a enfrentar o desamor.
Sofro as armaguras da vida, os desenlaces do amor desejado, as dores do coração bandido, que não permite que sejamos nós a controla-lo.
Ajuda-me a ver-Te, a sentir-Te, e assim as dores da ingratidão, serão bem mais atenuadas.
Deixa que viva a Tua paz, perdoa meus pecados, ajuda-me a ser feliz, ajuda-me a ajudar a ser feliz quem eu amo, e Tu sabes bem quem é.
Não a condenes, não a julgues, porque ela tal como eu somos humanos, e por isso sujeitos ao erro, ao pecado, mas obedientes à Tua sabedoria, magnificiência, e omnipotência.
Amen!
.

CANTICO DOS CANTICOS 4
.
1 - Tu és bela, minha querida
tu és formosa!
Por detrás do teu veu
os teus olhos são como pombas,
teus cabelos são como rebanho de cabras
descendo impetuosas pela montanha de Galaad,
.
2 - teus dentes são como um rebanho de ovelhas tosquiadas
que sobem do banho;
cada uma leva dois (cordeirinhos) gémeos,
e nenhuma há estéril entre elas.
.
3 - Teus lábios são como um fio de púrpura,
e graciosa é a tua boca.
Tua face é como um pedaço de romã
debaixo do teu véu;
.
4 - Teu pescoço é semelhante á torre de Davi,
construída para deposito de armas.
Aí estão pendentes mil escudos,
todos os escudos dos valentes.
.
5 - Os teus dois seios são como dois filhotes
gémeos de uma gazela
pastando entre os lirios.
..............
9 - Tu me fazes delirar, minha irmã, minha esposa
tu me fazes delirar com um só dos teus olhares,
com um só colar do teu pescoço.
.
10 - Como são deliciosas as tuas caricias,
minha irmã, minha esposa!
Mais deliciosos que o vinho são teus amores,
e o odor dos teus perfumes excede o de todos os aromas!
.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Em Fátima Rezei!!!.


Nos meus sentimentos difusos, no meio da multidão, no ambiente místico, eu me deixei perder na oração.
Viver a paz de um local abençoado, beber do silêncio daquele espaço, dos sofrimentos alheios que afinal não são assim tão alheios quanto isso…. Eu vivi!!!.
Sentir arrepios, sentir frio, interiorizar os sentimentos, olhar o altar, a Virgem, é sublime, é definidor de Fé.
Naquela mole humana, recheada de esperanças e benesses, imploradas em cada oração, em cada cântico, eu me senti pequeno, pequenino…
O calor humano, a partilha do coração, da oração, sentir as dores dos pés, e mesmo assim resistir, manter-me de pé quando a vontade é estar deitado..., fez-me bem, fez-me sentir pobre, humilde, carente de fé.
Um espaço de oração, em que mais parece que o mundo não existe para além daquela área, faz bem ao coração, à sensação de comunhão na fé, na Virgem.
Uma imagem de um tom branco imaculado, em pose amorosa, parecida com compaixão, com piedade pelo sofrimento humano…, a “mãe” está ali, parecendo que nos fala, que nos dirige a palavra, mais parece que nos ouve a cada um de nós em separado, tal a santidade, o culto envolvente.
Naquela noite em que cheguei, martirizado pelos pés doridos, carregado de dores, assisti à procissão das velas, a manifestação empolgante do “Salve-Rainha…..”.
As luzes das velas, em atitude de súplica como querendo alumiar o caminho da Virgem pelo meio da multidão, as faces lacrimosas, tresandando a dor, a sofrimento do corpo e de vidas duras, me envolveram num sentimento único de querer fechar os olhos e “ver” a Deus naquele momento. Tudo é Divino, tudo parece vir do céu!!!.
A multidão, chora, reza o terço do rosário, fazem-se pedidos, suplica-se ajuda, a intercessão da Virgem, rogamos pela sua benesse, pela Sua interferência junto de seu filho Jesus Cristo.
E eu ali, contemplando o místico, pedindo a paz, o aumento de minha fé, o perdão de meus pecados, agradecer a ajuda no meu caminho para ali estar naquela hora, agradecer a ajuda que senti em diversos dias de caminhada.
Eu estava feliz, eu rezei, eu supliquei, e vivi a fé, a sensação de estar no céu!.
Vi promessas, de joelhos, de rastos, de cera, de orações intensas, de olhos postos na virgem…. Aqueles momentos são únicos, só vividos se entendem.
Eu ofereci o meu sacrifício da caminhada, e também cera, uma vela por cada intenção pessoal, pela família, pelos meus amigos, enfim por todos que de uma forma ou de outra estão comigo.
Na noite de 12 de Outubro para 13 de Outubro, não tenho palavras, o clamor, o cântico em uníssono, a oração a uma só voz, tudo me impressionou, me tocou e de que maneira, pois que em momentos me emocionei, sinceramente emocionei.
Senti a presença de Deus, do divino me envolvendo, e repeti as preces, as minhas súplicas, sempre pedindo o aumento de minha fé e o perdão dos meus pecados.
Estive em pé, apesar do apelo do corpo em me deitar, mas assim fiquei. Queria absorver toda a emoção, todo o sentir dos lenços brancos, das velas acesas apontadas ao céu.
Rezei o terço, dei sentido as orações, coloquei nelas os meus familiares, os meus amigos, os que eu amo, e quero bem.
A 13 de Outubro, talvez 200 000 mil pessoas estariam ali, esperando o momento da procissão do adeus, e posso garantir, que é algo que não se descreve, não se comenta…, vive-se, simplesmente vive-se.
Milhares de lenços brancos, num adeus impressionante, acenando à Virgem, quase querendo impedir que o adeus aconteça, afinal, a Virgem está ali, estará ali sempre nos olhando.
Os cânticos, as lágrimas, o sufoco de uma despedida, a nítida sensação da perda do “colo” divino vivido nos dois dias anteriores, isso me deixa de rastos, me faz perder o controlo das lágrimas…. elas brotam face abaixo, não consigo cantar, só sentir o momento, olhar basta, chorar também.
Naquele momento senti o frio da vida que me vai esperar, senti a perda da bênção que a Virgem me deu naqueles dois dias, mas ganhei muito mais que isso… a certeza de que não foi em vão o meu sacrifício, o meu esforço, pois vivi, pedi, supliquei, e sei que fui atendido, sei que estou protegido pela Mãe de Deus.
A minha fé cresceu, e ganhei a força, a motivação para rezar o Terço do Rosário, aprendi a reza-lo, a sentir que faze-lo, estou a falar com Deus.
Santa Mãe de Deus, Orai por nós!!!!.
.
“Quando rezardes o terço, dizei depois de cada mistério…
Ó meu Jesus,
perdoai-nos,
livrai-nos do fogo
do inferno,
levai as almas
todas para o céu,
principalmente as
que mais precisarem.”
.

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A Minha Vida, É Um Caminhar.....


O caminho, percurso que sigo, por vezes em zig-zag, com dores, com visão turba, com perdas de consciência às vezes, é o meu caminho, aquele que Deus reservou para mim.
Tantas vezes me questiono pelas curvas do caminho, pelas voltas que ele dá a minha vida, pelas perdas que me provoca, quando não vai tão a direito.
Curioso, porque às vezes sentimos que fazemos desvios, mudamos o rumo, e não sentimos horror por caminhar mais, para o que é necessário.
Caminho, o espaço a percorrer para chegar ao destino, o nosso destino de vida....mas às vezes tão difícil.
Não sofro de maleita conhecida, de dores lombares, ou reumáticas, e por isso eu faço o meu caminhar direito, sem vergar a coluna, mas há quem não possa fazer isso.... o cajado é a muleta necessária.
Na nossa vida, todos precisamos de um cajado, para que nossa coluna, nossas pernas não soçobrem ao peso da caminhada agreste.
O cajado, por incrível que pareça existe desde sempre em nossas vidas, e pode assumir formas diversas, desde físicas a espirituais.
Quando falo do cajado, falo no sentido em que o cajado é o amigo, é o instrumento no qual nos apoiamos, que nos alivia a dor, nos faz suportar o caminho, nos ajuda a sentir fé, paz e confiança no caminho.... o cajado nos segura, o cajado nos ampara.
Eu caminho, eu vou por vezes em zig-zag, eu sinto as forças desfalecerem no meu corpo, eu sinto os pés magoados pelas pedras da calçada, eu sinto vontade de desistir, de deixar que o tempo consuma inutilmente o meu corpo, me deixar mesmo partir....mas me amparo no cajado, na minha fonte de força, de fé, de energia.
Queria caminhar, eu vou caminhar, nem sei bem onde e se vou chegar, mas com fé, com determinação eu vou, eu quero caminhar, pois Deus para mim traçou o caminho, que eu queria seguir, calcorrear, pisar nem que os pés me fiquem a sangrar.... eu vou, eu quero, eu desejo o meu caminhar, o caminho que me deste, quero seguir..... mas deixa meu Deus, que eu faça de TI o meu cajado, o meu suporte, a minha força para vencer.
Tu és o meu cajado, em TI me apoio, em TI me refugio, em Ti confio...... irei continuando a caminhar, mesmo que por vezes eu caia, me magoe, e sempre me levante..... mas caminharei sempre, porque enquanto não me abandonares, fores por assim dizer o meu Cajado, eu terei forças para TE encontrar.
.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

A Clausura Vive-se, Não Se Impõe!!!


Sinto-me triste, deprimido talvez, mas nem sei bem porquê.
Tenho vontade de chorar, de estar só, viver o castigo de uma solidão, pois mais parece que tudo está contra mim.
Não sou de mal, nem de mal dizer, mas de tão amar... estou triste, mas sei que vou vencer.
Quero estar só, sentir todo o peso do silêncio, toda a amargura do isolamento.... estou triste, nem sei porquê.
Queria caminhar, andar sem destino, olhar o caminho, contar as pedrinhas da calçada exaustivamente..., talvez assim eu me canse, fique exausto e o sono sobre venha.
Estou cansado, as olheiras me desfiguram, o corpo pede paz, e eu não lha dou, mas nem sei bem porquê.
Sinto-me um prisioneiro, já que vivo agrilhoado, e mal alimentado....., não sei qual o crime pelo qual peno, mas sei que vou vencer.
Vivo a modos que uma clausura, uma forma especial de clausura, que não sendo por devoção ou fé com espírito de missão, é-o por imposição minha, uma forma talvez de auto-flagelação, mas nem sei bem porquê.
Tenho a sensação do abandono, por vezes a sensação de uma chicla miserável que se mastiga e cospe mal cansa..., mas nem sei bem porquê.
Os céus mais parecem se abater sobre mim, sobre este corpo magoado pelas noites não dormidas, pelos almoços não tidos, pelos desgostos obtidos....mas nem sei bem porquê.
Estou fechado, só, pensando em tudo, para acabar não pensando em nada.... mas tento, talvez consiga têr êxito, afinal não sou eu um sêr vivo?
Por vezes, sinto o estado vegetativo, um estado larvar, um estado sem estado algum, assim como a modos como que "TO BE OR NOT TO BE?".
O silêncio me conforta, me dá uma força que quero que seja mais que aparente, mas que é duro, é!.
Sou o eremita citadino, rodeado de gente, mas só..., envolvido no barulho, mas surdo, com olhar vago, apesar de acossado pelo frenesim cosmopolita...., eu estou assim, letárgico, amorfo, com a sensação de ter tomado o comboio errado, na estação errada...
Procuro-me, queria sentir-me, e às vezes belisco-me, procuro saber se sou eu quem aqui está.
Neste tempo, em que tudo me confunde, me tortura, vivo a paz do afecto..., contradição??? Não, seguramente que não.
Algo me segura, algo não me deixa cair, eu sinto.... algo me põe a mão por baixo, eu preciso desse conforto, porque quero usufruir, quero viver algo que me faz bem, porque no meio a tudo o que sinto, algo faz de mim um resistente..... o amor!.
Eu quero sentir o amor, eu quero viver esse amor, eu quero caminhar sobre as brasas do meu tormento, se for esse o preço para estar bem, em paz, em harmonia, em amor.
.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Hoje Exulto!!!!


Meu coração bom, pula de alegria, minhas suplicas são ouvidas, sinto Deus em mim.
É bom sentir a paz, uma alegria de viver para sentir as benesses da vida que me foi concedida.
Exulta o meu coração, mesmo sabendo que a paz pode soçobrar, mas exulta, e eu quero viver este momento.
Quero sorrir, bem dizer a Deus, pois Ele não me abandonou, me deu a mão, me deu a fé.
Estou feliz hoje, não sei se estarei amanhã, mas hoje estou, e isso eu quero viver na paz que me foi concedida.
Tenho pelo meio alguns desgostos, prejuízos financeiros que abalaram a minha resistência, mas agora estou mais calmo, vejo mais longe, enxergo a solução. Deus está lá..... na solução!.
tenho a convicção de que vou vencer, pois sinto a protecção de Deus, eu mereço, eu sou um homem bom!.
A Ti meu Deus, te agradeço a bênção, a força, a fé que em mim incutiste.... eu sinto a Tua presença, obrigado!.
Tenho pressa, quero ser feliz, quero viver em paz, quero ter razoes para sorrir, e só Tu me podes ajudar nesse meu desígnio.
Tenho a força do Teu amor, a crença da Tua omisciencia, presença, e misericordia absoluta, e permite Deus que eu me possa banhar nos teus dons, nos teus ensinamentos, eu quero, eu desejo.
Hoje estou feliz, hoje sinto-me bem, Deus, permite que eu Te sinta, te "viva" e seja o exemplo do amor que tu queres para os homens, dando-me confiança, coragem e fé.
Não esqueças meu Deus todos aqueles que querendo amar, não o fazem por condicionalismos artificiais, hipocritamente impostas pela "moral" da sociedade.
Ámen!

sábado, 19 de setembro de 2009

Hoje Sinto O TEU Sorriso!!!!


Meu coração sorri, meu peito bate certo, meu sentimento está forte, minha paz está em alta.
Oh! Meu Deus, que tantas vezes te suplico a minha paz, o meu sentimento, o perdão de meus pecados…. a Ti Deus, chamar-te-ei o Deus das aflições, das minhas aflições, te agradeço nunca me teres abandonado, nunca teres permitido que ter perdido a fé, a minha energia, a minha esperança…. Obrigado Deus das minhas aflições.
Hoje estou bem, hoje sinto o sorriso de ponta a ponta, hoje vejo todas as cores do arco-íris, mesmo que esteja a chover, a mim parece-me que o sol está queimando, hoje sinto a Tua paz, o Teu amor.
Tu meu Deus, que sabes bem das minhas lutas, das minhas fraquezas, das minhas angustias, tristezas, e solidões, sabes bem como eu poderei vencer.
Tenho-Te suplicado tanto, tanto…. E Tu me ouviste, Obrigado!!!.
Tu que és a fonte de toda a sabedoria, de todo o amor, de todo o bem que na terra existe, me deste a mão, me deste a força, a vontade de nunca desistir…. Eu venço, porque Tu me seguras em Teu colo. Obrigado Deus das minhas aflições.
Eu queria ver-TE, eu queria ajoelhar-me perante Ti, e humildemente te agradecer a ventura de poder amar e ser amado.
Não sou seguramente o exemplo da virtude, tenho essa consciência, mas sou aquilo que Tu quiseste para mim, segundo o Teu projecto divino. Eu sou a soma de bom e mau, de pecador e não pecador, de frágil e forte, de sensato e insensato, afinal tudo isso é a “ferramenta” com a qual me dotaste para que eu possa aprender a amar, ser solidário, e puro de coração.
Seguramente Deus das aflições, eu não farei o melhor uso dessas “ferramentas”, mas Tu sabes bem que luto para que assim seja. Perdoa-me os meus falhanços, perdoa-me os meus maus momentos de desalento, perdoa-me que por momentos em vacile em minha fé…. Afinal sou humano, imperfeito, carente de tudo.
Queria pedir-Te Deus das minhas aflições, que não esqueças a “minha” outra parte, a “minha” EVA, aquela Eva que todos nós temos. Injecta-lhe coragem, fé, confiança, e “fala” para ela, incentiva-a, não deixes que o desalento tome conta de sua pessoa, afinal, também ela precisa de TI, da Tua força, fé e amor.
Permite meu Deus, que eu possa cumprir os Teus desígnios, os Teus propósitos de amor, porque no fim, no final de todos os tempos, só serão vencedores da Tua promessa de ressurreição todos aqueles que souberam dar e receber amor, o último desígnio Teu para nós frágeis humanos.
Que todas as bênçãos sejam derramadas sobre mim e também sobre a “minha” Eva, que nossos passos sejam iluminados pela força da Tua palavra, e que nunca a tristeza tome conta de nossos corações.
Hoje estou em festa, hoje eu sorrio, afinal os caminhos difíceis pelos quais me forças-Te a trilhar faziam sentido, porque só assim, eu saberei dar valor as benesses que para mim reservas-TE.!!
.


ECLESIÁSTICO 35

21 - A oração do humilde penetra as nuvens;
......Ele não se consolará, enquanto ela não chegar (a Deus),
......E nõ se afastará, enquanto o altíssimo não puser nela os olhos.
.

sábado, 12 de setembro de 2009

Hoje Quero Falar-Te de PAZ!


Vivo a paz, hoje estou calmo, hoje estou "vivo"!.
Sinto a força dos bons, dos resistentes, hoje, sinto a Tua presença senhor!.
Hoje tenho o meu coração calmo, os meus sentidos pacificados, e Tu Senhor, és o responsável.
Hoje queria cantar até ficar afónico, abraçar ate que os braços me doam, beijar até que os lábios sangrem....hoje estou em paz.
Deus, Tu que não me abandonas, apesar de por vezes eu sentir que pareces estar longe, indiferente..., sinto que sou injusto.
Afinal Tu me dás a mão!!!.
Eu, cego pelas minhas dores, pelos meus tormentos, não consigo por vezes enxergar a Tua presença.
Afinal, Tu estás em todo o lado!!!.
Tu Deus, sabes bem como luto, como tenho sofrido, e como sou dotado de bom coração, Tu sabes.
Tu Deus, sabes bem como penso, como vivo, como Te procuro, talvez não da melhor forma, mas Te procuro, Tu sabes bem.
Afinal Tu estas em mim, eu cego, não enxerguei!!!.
Tu que és amor, a vida, a luz, não permitas que eu viva no escuro do meu coração, na solidão da minha dor.
Afinal, Tu és a bondade, e eu aqui, egoísta não Te pressenti!!!.
Sinto o Teu colo, o Teu afago, o teu amor, e eu aqui.... "gritando" por TI!!!.
Tolo que sou. Perdoa-me!!!.
Vivo a paz dos bons, a serenidade dos justos, o amor divino, eu queria agradecer-te.... mas como?
Queria dizer-Te... "Obrigado....", mas sinto que não chega, porque é pouco!.
Queria dizer-Te... "Te amo meu Deus...", mas sinto que é comum, é vulgar...!.
Queria dizer-Te... " Perdoa meus pecados..." , mas como, se sou tão frágil, tão cheio de defeitos...!
Queria dizer-Te...
Tu sabes bem como sou "feito", ou não fosses Tu meu criador, que me fizes-Te assim, imperfeito, sujeito ao erro, ao pecado, qual "ferramenta" com que me equipaste para que eu possa evoluir errando.
Tu sabes dos meus afectos, dos meus sentimentos, dos meus anseios.... sabes bem, e eu também, que por vezes não sigo o melhor caminho..... mas Deus, diz-me como palmilhar o meu trilho se por vezes estou confuso, não vislumbro a estrada da minha vida?
Tu Deus sabes bem que não sou um "poço" de virtudes, mas também sabes que luto por isso. Posso por vezes, talvez na maior parte das vezes não ser bem sucedido, mas que tento, tento!.
Tu Deus, sabes bem que sou um lutador pelo bem, pela soliriedade, pelo bem fazer, por tudo quanto seja amar o proximo.... mas por vezes não consigo. Perdoa-me!!!.
Te dedico a minha vida, procuro ser justo, forte, exemplo, virtude, mas sei que normalmente falho.... mas se calhar Deus, tu mesmo queres que assim seja. Talvez seja a forma que me deste de eu aprender errando.
Sei Deus, meu Deus, que existes, que me vês, acompanhas, me dás a Tua mão, e que por vezes sou injusto para contigo.
Talvez seja essa a forma de Te procurar mais vezes, Te suplicar, Te falar, porque senão errasse talvez eu não fosse humano, mas sim divino. Eu sei que não sou Divino, a não sêr no facto de sêr obra Tua, mas acima de tudo "Humanum est".
Concede-me a paz, o amor, a felicidade, e dá-me forças, isso sim, forças para lutar pelo bem, pelo amor, pelo bem fazer, e acima de tudo a lucidez para que eu possa compreender os meus erros, reflectir, aceitar, corrigir o que não estiver bem, e assim bem dizer-Te.
Com a minha força, lucidez, e reflexão, poderei assim sêr o OBRIGADO, que a minha vida pode e deve sêr no teu projecto divino que para mim desenhas-TE.
Amen
----------------------
SALMOS 9
2 - Eu vos louvarei, Senhor de todo o coração,
......Todas as vossas maravilhas narrarei.
.
3 - Em vós eu estremeço de alegria,
......Cantarei vosso nome ò Altissimo!
.
4 - Porque meus inimigos recuaram,
......Fraquejaram, pereceram ante a vossa face.
.

sábado, 5 de setembro de 2009

Clausura De Amor,,,,,,


Numa tristeza infinita, numa ansiedade sufocante, num desejo intenso, na minha busca do equilibro..... sinto a tua falta.
Nas palavras que penso dizer-te, nos pensamentos entranhados, pelos momentos que vivi felizes, e me torturam a alma... sinto tua falta.
Vivo a clausura do coração, dos sentimentos bons que me castigam o corpo!.
A cabeça exausta no objectivo longínquo, o teu nome baila, o teu nome fala, o teu nome me embala nas noites em que não consigo adormecer.
Sinto o sufoco, nunca imaginei sentir essa dor, essa amargura.... sempre pensei que sofrer do corpo é bem pior do que sofrer do coração, da alma, mas como estou enganado.
As dores do coração, batem, se enrraizam no mais profundo do nosso sêr, e as suas mazelas são invisíveis, estão ocultas, e por vezes nos fazem sentir despreziveis, esconjurados, rejeitados, o que é bem pior que o sofrer físico.
Gostaria tanto fazer comigo, como se faz com o interruptor da luz, que a um click.... pronto, se apaga.
Queria tanto partir, mas como posso eu fazer isso?
O meu desgosto se "agarrou" a mim, me roubou a alegria, me roubou o sorriso, me roubou o brilho nos olhos.... hoje sou um homem desalentado, triste, com olhar vazio.
Meu caminhar é lento, indeciso, imagino-te ao virar da esquina, imagino-te no fim da rua sorrindo de olhos brilhantes chamando-me, abraçando-me.... mas, desilusão, sempre fico frustrado, porque minha ilusão, foi mais uma vez...... ilusão!!!!.
Os teus olhos que tudo me dizem, o brilho que eles contem são a expressão da tua alma, e eu que não os vejo, faz tempo.
Sempre me socorro das minhas falas com Deus, que com toda a sua omisciencia me ajuda.
Deixa Deus que meu coração sossegue, se acalme, e eu encontre paz, pois Tu sabes quanto sofro, quanta solidão me invade o coração.
Tu sabes Deus quanto amor está em mim, quanta dor eu suporto, quantas lágrimas derramo no escuro das minhas noites. Tu Deus, sabes!
Vivo a modos que um degredo do coração, onde os sentimentos fluem, escapam-se ao meu controlo, tal a força deles...!!!
Sinto a força esmagadora do sentimento mau do desamor, eu vivo a tristeza, o desalento, e só as lágrimas são minhas companheiras, só elas sabem da sua razão.
Tenho cada vez mais o desejo de estar só, de viver longe de tudo, de todos, aprecio cada vez mais o silêncio, porque nele encontro a tua voz, o teu ralhete, os teus jeitos, os teus odores, os teus sons....., eu sinto-me bem na solidão, embora ela me deixe constrangido.... o chamado mal menor!
Vivo literalmente o degredo de coração, a minha clausura, onde vivo amordaçado, lembrando as memórias dos momentos felizes idos e que luto por conservar.
A TI Deus, que tantas vezes, te clamo, faz de mim o teu monge, o teu arauto sacrificado pelo amor. Não permitas que esta carga me esmague, mas se fôr o preço que terei que pagar pela minha ousadia de amar, procurar ser amado....então Deus, deixa que eu sofra, deixa que eu "pague" a ousadia de querer ter sido feliz.
Tu és amor, Tu falaste de amor, Tu nos ensinaste o amor..... permite, deixa meu Deus, que eu seja o sêr bom, sensível, amoroso, preocupado, pela vida minha e não só. Me dá a força, a esperança, aviva-me o amor....eu sou amor, eu queria ser amor.
Que esta minha clausura, seja purificadora dos meus erros, dos meus pecados, seja o caminho que terei que seguir para Te encontrar.... no amor!.
.
SALMO 38 (HEBR.39)

13 -Ouvi, Senhor, a minha oração,
...........Escutai os meus clamores,
.......Não fiqueis insensível ás minhas lágrimas.
...........Diante de vós não sou mais que um viajador,
.......Um peregrino, como foram os meus pais.

14 -Afastai de mim a vossa ira para que eu tome alento,
...........Antes que me vá para não mais voltar.
.

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Meu Coração Sangra!!!!!


Caio em pedaços, meu coração sangra a dor que eu próprio “injectei” nele, porque me queixo?
Se meus sentimentos fervem, minha cabeça zurze, meu coração oscila, meus olhos incham, e se sou eu o responsável, porque me queixo?
Se a dúvida me enche o peito, se o sentimento não tem retorno, se sinto o desvio do meu objectivo, porque me queixo?
Que mal fiz eu? que castigo tenho eu que suportar, onde errei?
Tenho a angústia em mim, sinto a pressão no tórax, a respiração sai difícil, o nariz obstruído, porquê?
Tenho uma vontade indómita de me torturar, de gritar, de berrar a plenos pulmões, e só eu tenho a culpa. Porquê viver isto?
Quero o que não tenho, sinto o que não me dão, me torturo numa atitude vã, como que se eu fosse capaz de inverter o curso dos acontecimentos….palerma, talvez idiota que eu sou…!!!!.
Sinto a violação no coração, sinto as garras da besta cravadas no meu peito, sinto a revolta dos impotentes, sinto o suspiro dos últimos, o desalento dos caídos, a tristeza dos rejeitados…. Porquê?
Queria não mais adormecer, não mais ter sono, preciso estar alerta, sentir tudo, mesmo tudo que a dor tem para me dar…. Eu estou disponível… !!!.
A dúvida rói meu peito, não consigo evita-la, ela pode bem mais que eu…, e só eu posso remediar, mas como?
Gostava tanto partir, sinto que só isso me faria bem, só isso me curaria…., não queria arrastar-me pelos dias que me faltam, pois as feridas são mais que muitas, o corpo sangra, as dores quase me anestesiam.
Estou cansado das lágrimas que não consigo mais impedir, e que rebeldes teimam escorrer face abaixo, como se eu caminhasse sob chuva intensa…, porque sou assim?
Não tenho o que quero, sinto aquilo que não me dão, a vida é cruel, mas a culpa é só minha…, porque não sou eu um sem carácter???.
Adorava não ter escrúpulos, adorava não ter sentimento, adorava ser a besta anunciada do não amor, aquele que insensível a tudo, mesmo tudo, tudo pisoteia, tudo remexe como querendo esmagar o amor à superfície da terra.
Eu sou a dor, eu sou o amor abandonado, que não soube ser egoísta, deixando que o bem-querer fosse mais forte que o egoísmo que sempre me defenderia do sofrimento por que passo. Palerma que fui, palerma que sou.
Sinto-me só, mesmo muito só, tento resistir à vontade da burrice, da reacção bruta, do alimento da raiva, mas vou resistir, vou tentar ser mais forte… mas que me dói, dói.
Vou passar esta noite, no escuro do meu quarto olhando o tecto, revendo os meus afectos, rebobinando os momentos vividos, as razões das minhas dores, talvez irei chorar com a plena convicção de que não serei capaz de vencer as mazelas que eu próprio infligi em meu coração, e assim carregar as feridas que eu próprio não sei como fechar.
Deus é grande, n’Ele coloco minhas preces, n’Ele me refúgio, e busco a paz que tarda em chegar ao meu coração.
.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

As Vezes Choro as Tristezas do Coração!


Agora que estas longe, nem por isso meu coração sossega.
Tenho uma "pena" para cumprir....a maldição de uma tristeza que como que se de uma doença, possessão demoníaca se tratasse, assim a modos como quem enfrenta uma doença terminal, mas no coração.
Tenho a pressão do desgosto nas veias, como um turbilhão que aquece meu corpo, me entorpece os músculos.
A sensação firme de que carregarei estas grilhetas por toda uma vida, num arrastar doloroso, de um sentimento bom, que o tempo consome inutilmente.
Talvez eu seja a vela inútil, acesa num dia de sol num deserto de afectos!!!.
Vezes sem conta, dou por mim, chorando, como se sofresse de convulsões, nunca pensei que fosse tão difícil. Nunca!.
Esta sensação horrível, daquilo que nunca poderemos ter, daquilo que sabemos nos fazer bem, mas não poder ter...!!!.
Estar "doente", têr o antídoto, e não o poder tomar porque somos alérgicos ao remédio...é horrível, eu sinto isso.
Tenho o coração bom, e nele não mora o ódio, aliás, eu não consigo ganhar ódio, rancor, seja o que fôr...., porque em meu peito "mora" o perdão, sim o perdão, não o esquecimento!.
Procuro não ficar nervoso, não praguejar, mal-dizer, porque isso são sucedâneos do demónio, são o caminho do mal, das trevas, da aceitação do não amor, do mal querer ao outro.... a negação do amor.
Falo Contigo Deus das minhas dúvidas, dos meus anseios e porque não dos meus pecados!.
Ouve-me, fala para mim, repreende-me, dá-me a intuição do bem fazer, bem querer e do amor... tu que sabes da minha dor, tristeza e quanto amarfanhado caminho, sob o peso do desgosto que eu próprio não soube rechaçar, ajuda-me, aligeira minha amargura, me obriga a sorrir, me obriga a caminhar, e, se o pecado, a tentação do erro me perseguir, da-me as forças, as vontades, as energias para que eu possa vencer, saltar por cima do "entulho", que fazendo peso em mim, não deixa que eu caminhe erectos, tal como me "desenhaste" no teu momento de criação.
Eu "Homo Sapiens", com o ADN de amor com que me "construíste", te peço Deus, que me vês, escutas, e de quem eu jamais poderei esconder o que me vai no coração, na mente, na vida, porque tudo TU vês, enxergas..., te peço, que não permitas que os tempos que me esperam até que me "chames", sejam de amargura, tristeza, de curvatura da minha coluna dorsal, que assim vergada sob esta mágoa, me ameaça impedir a visão do horizonte onde mora o meu destino, e assim, eu não tenha a vista curta, que a curvatura de meu corpo me força.
Em Ti confio, porque só Tu me podes libertar, e fazer "ganhar" a vontade de sentir o ar fresco, a brisa matinal, o "beijo" do sol em minha pele, a contemplação do céu, das estrelas, e toda a tua obra de amor, que para nós deixaste.
Não me abandones, Deus do meu coração, faz com que tudo seja uma razão para eu ir em frente, bendizendo as maravilhas que em mim operaste.
Amem!
.

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Neste Vazio, Que Teima em Mim Residir...


Neste dias, a sensação de quente e frio me consome a alma.
Como gelado derreto sob sol escaldante, é assim que me sinto hoje, molengo, amorfo, triste.... vazio, enfim!.
Luto tenazmente contra o vácuo da alma, o espaço que não escolhi e que teimosamente quer habitar em meu coração. Pobre de mim!.
Socorro-me da oração, da prece, da "fala" com ELE, e por vezes não contenho as lágrimas, faz-me bem, sinto-me bem chorando, porque afinal não são as lágrimas o amor na versão liquida?
Tenho os pensamentos "inundados" de dúvidas, de recalcamentos, de coisas boas, coisas más, o "quente e frio" de uma vida.
Nestes dias, o clamor da desventura me persegue, o gosto mórbido pela auto-flagelação do corpo e do espírito me alivia, sinto o chamamento da tortura, do auto-castigo, daquilo que me possa magoar, e porquê ?.
Talvez essa dor que procuro, seja o paliativo de uma dôr maior que sinto, e que não sendo visível, é bem mais dolorosa que outra coisa qualquer.... o desamor, o por vezes não gostarmos nem de nós mesmos.
Quando dou por mim, estou pensando no "muro" da vida, naquele "muro" que todos nós acabamos por optar alguma vez na vida, na tomada de opções, decisões que podem ser dolorosas para nós e não só.
Detesto o apelo da morte, mas não nego que por vezes seja acossado por isso. Quem já não teve esse tipo de pensamento na vida? Penso que quase todos o tiveram.
Carrego o fardo de uma tristeza, que imagino eterna, e por isso muito penosa, já que não vislumbro forma de a banir do caminho. Carregarei até ao fim esse sentimento, só a terra fria me curará.
Os filmes de terror que para mim imagino, com seus cenários dantescos, assustam-me, me deixam a mim próprio questões que nem eu sei responder....a não ser que de facto eles existem, eu penso neles, sem contudo os consiga erradicar da minha cabeça. Serei louco?
A sensação do inútil, do pouco útil, do indiferente me toma a alma, me tortura os passos. A vontade de fazer "burrice" é por vezes muito presente. Talvez a minha sorte é eu ser um tudo nada cobarde.
Hoje estou assim, hoje pendo na queda, na dor de um voo pelo espaço em direcção à agua.... como será?
O conforto da "solução" me faz deixar preocupado, talvez eu esteja febril, mesmo demente, já não sei, mas que penso, penso.
Acalmem-se os leitores, não sou suicida não, mas é estranho aceitar fazer a candidatura a tal propósito. É esquisito.
Das dores espalhadas, das dores recolhidas, tudo fica muito amplificado, nada se torna fácil na vida, e eu hoje estou assim, desmiolado, talvez no..... vazio!.
Deus me escuta, e sabe do que falo, sinto a Sua protecção.....será mesmo assim suficiente?
Falo para ELE, trato-o como um amigo antigo, dos tempos de jogar à bola na calçada, e n'Ele coloco meus anseios, e sei que sou escutado. Eu sou por Deus!!!.
Não queria magoar ninguém, nem sofrer no corpo a desventura da mágoa que me tolhe os passos, mas se assim tiver que ser......seja!.
Sorrio, falo, disfarço ainda melhor, afinal a vida é um teatro, em que todos acabamos sendo actores de uma peça, que nem nós escrevemos nem sabemos como acaba, mas representamos.
O apelo do abutre, que come a carne putrefacta, que pacientemente aguarda a morte do moribundo, está sempre presente, sinistro, corcovado sob seu espesso peso das penas macilentas, e eu aqui dando-lhe esperança. Idiota!
Hoje estou assim, tristonho, abatido, com vontade de asneirar, dizer burrice, mas sinto, penso, queria fazer.....mas não faço, apesar de ter vontade, já que amanha será outro dia, mesmo que sinta esta cruz, este calvário ter que suportar.
Queria estar de pé, acordado, castigando meu corpo exausto, mas se Deus quiser, e me ajudar, eu serei o vencedor de uma coisa "quente e fria" que explica a amargura, tristeza, talvez pouca alegria de estar por aqui, carregando o peso deste "madeiro" da vida.
.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Sofrimento, a "Via-Sacra", o Caminho para o Amor???


Não sei que dizer, como falar disto, mas tenho esta questão em mente, faz tempo.
Vivi nos últimos tempos dias difíceis, bem doridos, carregados de sofrimento, quer físico quer psicológico.
Sempre pensei que a melhor maneira de sermos gratos, humildes e não arrogantes, seria a de visitar um hospital todos os meses. Entraríamos altivos, sairíamos humanos.
Amar, é a condição que Deus nos põe como desafio, como caminho, destino até, mas como amar?
Sentir amor no coração talvez nao seja só o amor platónico, não, mas também aquele amor do gesto, do abraço, do ser solidario.
Amar algo, por uma razão sentimental séria, profunda é de facto divino, mas deixem-me falar de outro amor..... o da soliriedade, o da fraternidade, o do darmo-nos aos outros, amando-os.
Sentir amor, desejar alguém é lindo, é nobre, é humano sim, mas não está implícito sofrimento a menos que seja opção nossa, escolher a dôr como forma de viver amando.
Agora queria falar de um amor, daquele amor que pelo sofrimento físico, quer pela doença, quer pela carência social, alguém reclama dos demais.
Sofrer na carne, na alma a tortura de uma doença em corpo alheio, numa tentiva ainda que vã de minimizar a dôr, não evitando contudo a morte, é quanto a mim um acto sublime de amor, porque é exactamente esse sofrimento, essa carência que funciona como argamassa de um amor que acaba se manifestando numa entrega carregada de simbolismo e bem-querer.
Será que o sofrimento é a "ferramenta" que Deus encontrou para "vergar" os homens na sua arrogância?
Quando fazemos de uma fase de nossa vida, um acto de heroicidade, de entrega, sacrifício, de renúncia a nós mesmos, a bem de um outro que está necessitado, talvez estejamos vivendo o "grito" o chamamento de alerta para o amor verdadeiro. Há quem lhe chame .... Voluntariado!.
A coragem, o alheamento a momentos susceptíveis que podem sêr de grande incomodo para nós, como por exemplo na higiene intima de uma pessoa, e se o fazemos de coração aberto, com alegria e com a sensação de paz interior....diria que estamos a viver um momento de amor.
Quando amamos, podemos sofrer sim, mas com gestos, atitudes que nós mesmos inventamos, criamos que podem ou deveriam ser evitados, mas quando amamos alguém que está sofrendo com doença, ou outra forma de carência, adquirida pelo destino....eu poderia dizer que estamos sendo convidados por Deus a mostrar o amor real que Ele nos ensinou, entregando-nos ao outro, promovendo a sua dignidade, o seu direito ao amor, e a ser bem tratado.
Isso é amor!!!.
Como nada na vida é acaso, acidente, ou coisa frutuita, eu tenho para mim, que o sofrimento é a "passadeira" que Deus estende à nossa frente para ser percorrida, assim nós saibamos entender, melhor, o que fazemos, de onde viemos e para onde vamos.
O sofrimento é a possibilidade que Deus nos dá, para a nossa tomada de conscienccia de humanos, frageis, dependentes e nunca solitários, para que sempre tenhamos presente que sós não valemos nada, e em união seremos bem mais felizes, mais próximos da mensagem de Deus.
Sofrimento pode sêr carência de amor, e o apelo divino a mostrar-mo-nos realmente filhos de Deus.
Amar é sofrimento, sofrimento é amar!.
.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Num Lamento, Minha Vida Triste!!!!


Os meus tempos vão difíceis. Talvez não só os meus, mas também de quem me rodeia.
Estou triste, muito triste, e confesso, nem sei bem o que fazer.
Meus sentimentos estão confusos, muito dispersos, sem coerência, muito doridos.
Tenho a horrível sensação de odiar, para logo de seguida duvidar de mim mesmo, dos meus gostos, dos meus afectos.
Tenho a sensação generosa de dar, de servir mesmo que isso por vezes custe as minhas lágrimas, a minha revolta, e me provoque a dúvida terrível de talvez esteja a sêr estúpido..., talvez idiota.
Não sei se deva rezar, suplicar, ou viver a resignação de uma vida triste, amorfa, amarfanhada pela pressão de gestos, sentimentos esguios, evasivos, nada consistentes.
Nestes últimos meses, a violência assentou arrais em meu corpo como lepra, sarna ou outra malignalidade que não escolhi.....só quero ser feliz, só isso..... mas como é complicado.
Tantas vezes olho o céu, procuro ver o vulto de quem partiu, o sinuoso de um carácter, de uma vida pura, dedicada, generosa, e nada mais vejo que azul, nuvens e pássaros.
Carrego o peso de uma solidão dorida, por vezes imposta, e noutras auto-imposta, o corpo me dói todo, não conseguindo eu distinguir se da alma ou dos músculos.
Sinto sono, uma dormência teimosa, uma vontade de me deixar cair na letargia de um espasmo, de um grito, de um choro..., tenho uma vontade enorme de chorar, sinto que me alivio a cada crise de choro.
Caminho numa "estrada" sem riscos, sem sinais de transito, sem bermas, sem curvas, e sem fim, mais se parecendo com um enorme risco negro que se perde na linha do horizonte, e faço-o como se caminhasse sob um sol escaldante.
Estou numa fase que não tinha "programado" para mim, mas a vida tem coisas que não posso entender, Deus é soberano, decide, e nós temos que obedecer.
.
Sou frágil apesar de minha voz-trovão....
Sou sensivel apesar de minha estatura....
Sou generoso, apesar de por vezes ter tiques egoistas....
Sou afectivo, apesar de por vezes parecer odiar....
Sou de paz, apesar de por vezes parecer deitar tudo abaixo...
Sou de chorar, poque nas lágrimas, minhas fieis companheiras, eu confio a minha dôr....
Sou de suplica, porque nela, encontro o caminho até Deus....
Sou humano, e criatura feita a imagem e semelhança de Deus..., por isso eu reclamo benção dos céus!

-----------------------------------

SALMOS 12 (HEBR.13)

2 - Até quando, Senhor, de todo vos esquecereis de mim?
......Por quanto tempo ainda desviareis de mim os Vossos olhares?

3 - Até quando aninharei a angustia na minha alma,
......E, dia após dia a tristeza no coração?

4 - Até quando se levantará o meu inimigo contra mim?
......Olhai! Ouvi-me, Senhor, ó meu Deus!
.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Espiritos Truculentos..., ou a Tortura da alma!!!


Dói-me as costas, sinto a cabeça zonza, o olhar está difuso, as pernas estão dormentes, o cansaço é geral!.
Caminho penosamente, olho o meu caminho, e não vislumbro o seu fim, não sei como vai ser, mas sei que está lá, e só desconheço a distancia, mas que está lá, está, sei bem que sim!.
Caminho amparado pela força anímica do dever, da solidariedade, do amor real a que tenho de obedecer, o amor é assim, o amor foi-nos ensinado assim, eu pratico-o assim, meus pais assim mo inculcaram.
Sinto a solidão do homem que caminha, com o sol queimando sua testa, já não sentindo a sede, nem o alimento.
Preciso tanto de paz, de um estado de espírito são, que me ajude a entender a razão kármica deste caminho, e não consigo, e bem que luto mas não tenho resposta.
Preciso da paz dos tranquilos, dos calmos de espírito, daqueles que suspiram antes de proferirem ruído….eu preciso disso, mas não consigo.
Nada pior para a alma que os truculentos de espírito, aqueles que proferem palavrões em chorrilho, aqueles que nunca param de falar, aqueles que não têm o hábito de primeiro escutar e depois falar, aqueles que nunca souberam o que é escutar, aqueles que nos roubam a paz, nos sugam a tranquilidade, aqueles que fazem da sua vida uma luta contra tudo o que mexe; esses, os “donos” da razão, que tudo justificam a partir de si, a esses, eu quero-os bem longe, talvez no deserto, onde só os lacraus, escorpiões e ratos vivem os possam ouvir.
Vivo a tormenta do “tem que ser”, e aceito, porque de facto tem que ser, mas Deus, porque me sobrecarregas com o fardo de ter que “escutar”, opinar em terreno que não me faz bem, quando eu sou pacífico por natureza, solitário por definição, e aceito a carga silenciosamente, carrego o fardo no gemido de meus passos, e só a espaços choro no refúgio de um canto escuro, pois assim consigo superar os momentos de angústia e solidão.
Tou cansado, sempre ouvindo, sempre procurando entender os outros, desculpando-os em prejuizo meu, a bem de um paz que quero, pocuro e não encontro!!!.
Estou exausto, saturado de me abandonar a mim próprio para ter a paz que meu coração pede, mas talvez fragilizado, eu não enxergue a "porta" por onde hei-de sair, respirar um outro ar que me rejuvesneça, que me livre dos opressores, torturadores de almas, quais devoradores insaciáveis de inocentes e ingénuos, que a troco de uma pacificação, se abandonam sem que se quer saibam qual o preço a pagar por tudo isso.
Tantas vezes te suplico, tantas no meu dia-a-dia, pedindo a resignação, a força, a solidariedade, enfim o amor que a vida deve ter, eu quero dar.
Deus, se me escutas, enche meu peito de energia positiva, de paz, de bem querer, e dessa luz branca que de Ti emana, e permite que seja inundado com a sensação de bem estar, de dever cumprido, de que tudo em meu redor seja o silêncio do amor.
Faculta-me Senhor, num acto de piedade momentos de paz, de tranquilidade que me permitam sentir a Tua presença, onde eu possa “esconder-me” da tortura das palavras insidiosas, da truculência do meu caminho, onde eu finalmente possa escutar a Tua palavra, sentir o Teu afago, o sabor do Teu amor.
Que o passáro negro, o de má mensagem, o agoirento, suba bem alto, e não passe razante minha cabeça, que se vá, que deixe de me assediar com a vertigem da "solução fácil".
Eu sou homem-amor, mas reconheço que neste momento sou mais homem-tristeza, e no espelho, esse meu amigo que não me engana, me mostra o peso que minha face carrega de uma tristeza profunda, gravada a dôr em cada ruga saliente.
Deus, Tu és o meu refúgio, e sei que nada me pode faltar, embora por vezes eu sinta o sabor do abandono a que por vezes sou votado.
Amén!


SALMO 55

2- Tende piedade de mim, ó Deus, porque aos pés me pisam os homens,
...........Sem cessar, eles me oprimem combatendo.

7- Reúnem-se, armam ciladas,
...........Observam meus passos, e odeiam a minha vida.

14 - Porque da morte livrastes a minha vida,
...........E da queda preservastes os meus pés,
...........Para que eu ande na presença de Deus, na luz dos vivos.
.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Hoje Quero Falar-TE de Gratidão!


Hoje estou mais calmo, pois sinto uma paz interior mais forte, embora abalada por sensações fortes de insegurança.
São momentos difíceis, que alteram toda a nossa biologia, e cronologia de afazeres.... tudo tem um peso excessivo, tudo tem um volume descomunal.
Luto contra isso, procuro as razões, e frequentemente faço exercidos de respiração profundos, como querendo ganhar fôlego, espaço e animo para poder olhar em frente.
A sensação permanente de que nada é definitivo, e tudo esta em alteração permanente, faz de mim um sêr em ebulição, em contradição, em não harmonia com o espaço-tempo.
Tendência para o choro, fuga á depressão, batida de pés como querendo expulsar as maledicencias pelos calcanhares....tolo, eu devo estar tolo mesmo.
Momentos tenho, que dou por mim falando sozinho, coo se estivesse palestrando, e não fora este espaço de partilha, talvez eu tivesse já sucumbido á pressão. Queria realçar a ajuda preciosa de amigos(as), que desinteressadamente me falam e apoiam. Eles me aguentam, suportam, e nunca me apercebi tenho manifestado alguma forma de fastio pela minha pessoa..... eu adoro-vos.
Falo, rezo, suplico a ajuda de Deus, sei que Ele me escuta, e talvez eu não tenha a paciência necessária para O escutar, já que a minha pequenez por vezes se manifesta tão forte que fecha o meu coração ao toque de Deus. mas eu sempre O procuro, Ele me alimenta, e sei me conduz.
Tenho um familiar passando mau momento, e também isso faz de mim um peregrino do sofrimento, quer seja físico, ou da alma ou do espirito.
A Deus eu só peço ajuda, a força, a fé, e a vontade de vencer, pedindo em simultâneo perdão pelos meus pecados, que Deus sabe não serem a projecçõ natural da minha pessoa, Ele sabe bem disso, e por isso me atrevo a suplicar-Lhe...... Deus de meu sofrimento, ajuda este peregrino-amor a levar a bom termo a jornada a que se propôs....... viver, sonhar, amar, e respeitar todos os irmãos, fazendo do caminho por onde passo o esteio do meu calvário de vida a que Tu Deus me convidas-Te a fazer.

Amén!
.

domingo, 5 de julho de 2009

Preciso da Tua Presença Senhor....


Não permitas Deus das minhas alegrias, que eu perca o sentido de decoro, de dignidade, e me sinta desprezível.

-Preciso Te manifestes,
-Preciso me confortes,
-Preciso me dês colo,
-Preciso entendas o meu EU,
-Preciso me perdoes,
-Preciso me fortaleças,
-Preciso sejas meu anjo,
-Preciso me ilumines,
-Preciso me dês a fé,
-Preciso de TI.........
-Preciso muito, de TI.

Que as minhas chagas do coração façam de mim o mártir do amor.
Que as minhas dores do corpo, façam de mim o resistente, o temente a Deus.

Que todas as minhas duvidas sejam os sinais, o meu código de amor.
Que não sejam em vão os meus sofrimentos, angustias, e temores, já que quero doa-los pelas pessoas que não Te reconhecendo, não Te temendo caminham penosamente o trilho de suas vidas.
Eu quero ser dador de dores, e amargos de vida, de tristezas, angustias, em favor de todas as almas carentes de oração. Não quero inútil as minhas lágrimas de tristeza!
Eu preciso de Ti, e eu pecador me confesso da necessidade de teu perdão. Não permitas que meu peito acalente a morte, o desanimo, a tortura de mau viver, eu preciso de TI Deus de alegria.
Não deixes que em minha mente, fervilhe a ideia da partida, do "mais fácil", da desistência.
Preciso de Ti senhor, fala comigo, eu estou aqui te procurando.
Em Ti deposito meus créditos de vida, e TE peço que sempre que eu esteja em depressão, me alivies das duvidas, angustias.
Amen!
.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Se Tu Me Falasses PAI.....


Agora que se fez dia, e a noite me vergou a coluna, me pesou no corpo, posso enxergar as cores do arco-iris.
Tenho a sensação de ter sido agredido, vejo o chão oscilar, sinto-me embriagado, caminho em zig-zag. O meu caminhar é de dor, de ausência de sentido, do norte magnético da nossa vida!.
É bom sentir o ar fresco da manhã, a humidade relativa que me entra nas narinas, mas que me sinto zonzo, com dificuldades no pensar, isso sinto!.
Nunca rezei tanto na minha vida, nunca supliquei tanto, nunca tantas vezes TE pedi a protecção dos meus sentimentos, do meu bem-querer, do meu não odiar, e renovo a cada dia o meu pedido de ajuda, de clarividencia, de orientação do meu caminho, e eu sei que não vais falhar, me vais ajudar Deus do coração!.
Meu sistema nervoso está febril, sinto a agonia no estômago, sinto-me realmete mal, mesmo mal.
Não entendo a vida, não compreendo o meu papel neste mundo, não entendo o meu Karma. Olho em volta, tento "ler" os sinais que vêem até mim, numa tentativa inútil de adivinhação, mas não consigo, ainda não atingi o meu ponto de vidência branca, limpa, que me ajude a perceber os porquês dos meus grilhões, das mazelas no meu coração, e eu que tanto suplico, mas nem sei se as vezes consigo que me escutes.
Ampara meu peito, faz-me bater com a cabeça na parede se isso for o que preciso para entender,
mas manifestaste, mostra a Tua ira, mesmo que eu seja o pior dos pecadores, o incorrigivel, o não crente, sei lá, mas manifestaste, diz-me algo que eu perceba, não permitas que eu vegete que nem um legume.
Sinto o desprezo no corpo, o não querer no coração, a vontade incrível de tentar "partir", pois me parece que será mais fácil estar do lado de lá.
É horrivel sentir o não querer, o não desejar, o não ter sentido de vida, o desamor..., seguramente eu sou um depressionário crónico, e não mereço mais que isto mesmo.

SALMO 5
2 - Senhor ouvi minhas palavras,
...........Escutai meus gemidos.
3 - Atendei à voz de minha prece,
...........ó meu rei, ó meu Deus.
4 - É a voz que eu invoco, Senhor, desde a manhã; escutai a minha voz,
...........Porque, desde o raiar do dia, vos apresento minha suplica e espero .

Se este trilho deve sêr percorrido, se ele é caminho de luz, e purificação de meus sentimentos e da minha fé, então deixa que eu caminhe, e ajuda-me, matando a sede deste caminheiro sem destino.
Amén!
.

Se Eu TE Pudesse ESCUTAR Pai!!!!!


Nesta noite pesada, em que todas as trovoadas sobre mim caíram, não sei como Te falar.
Não vislumbro as cores, só o negro está visível. Tenho a sensação de que a cor tem peso, tal a pressão a que estou sujeito.
As aves agoirentas passam rasantes sob a minha cabeça, mais parecendo querer agredir-me, e logo hoje que me sinto tão indefeso.
Carrego o “madeiro” da vida, todo ele feito de sofrimento, e não vislumbro como o deixar ficar para trás.
Peço-Te Deus, não me abandones, e faz de mim o exemplo da força que vem de TI.
Não consigo dormir, não tenho sono, as dores são mais que muitas, como posso aliviar-me?
O desgosto está em mim, a angustia também, e sinto a vontade enorme de “partir”, não suporto muito mais tempo toda esta “trituração” do meu sentimento. Eu queria ir-me desta, queria estar em paz, sossegar meu espírito tão martirizado.
Tenho a mágoa dos abandonados, as dores dos lázaros, sinto-me tão confuso, e por vezes desprezível.
Preciso tanto de TI, e eu aqui te suplico… “fala” comigo!!!!.
Meu corpo está dorido, as articulações estão inflamadas, a cabeça aquecida, ardem-me os olhos, e não sei como dar a volta.
Nesta solidão que a noite intensifica, olho o escuro, procuro ruídos, e não vislumbro nada. Estarei eu a enlouquecer?
Faz tempo que meu corpo não tem descanso, que martirizo a alma, não sossego o espírito, e só Tu podes dar-me o que preciso…. PAZ!!!.
Coordenar o pensamento…, esforço vão, tudo se me aflora em turbilhão em minha cabeça e vejo tudo de pernas para o ar. Eu sufoco, eu tenho arritmia, eu não sei de onde me vem tanta energia.
São 3 horas da manhã, só escuto o Tic-Tac do relógio de parede na sala, mais parecendo a tortura da gota de água na nuca…, estou exausto, não suporto muito tempo esta provação.
Tenho momentos em que sinto ser o único humano na terra…, talvez eu esteja a delirar, a fantasiar, seguramente será isso.
Dou por mim olhando o tecto da sala na sua cor alvo, no meio a uma escuridão típica de uma noite que queríamos fosse rápida.
Sinto tonturas, não sei bem o que fazer, e Tu não mo dizes Deus das minhas solidões, onde estás?
Vivo momentos difíceis, de traições, ingratidões várias, de sofrimentos partilhados que não impostos…, como saio desta?
Sofro de insuficiência afectiva, fui usado, talvez gozado e não consigo digerir o vazio, a dor de nunca saber se assim foi ou não, mas TU sabes Deus da solidão.
Queria tanto viver a paz prometida, e talvez eu não consiga ajudar-me a mim próprio, porque teimoso, obstinado em entender que reservas-Te para mim nesta vida onde procuro aprender a conhecer melhor o amor.
Não te peço a salvação, mas tão somente a sabedoria dos fracos, o amor dos bons, e uma vontade de vencer o voo sinistro destas aves negras que sob a minha cabeça zurzem.
Te Lembra de mim Pai, não permitas que eu vegete sem sentido, faz com que a minha solidão seja a força que tanto anseio por descobrir o Teu amor, a Tua fé, o Teu paraíso.
Ámen!
.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Os meus Sentimentos Turbolentos!!!


Tenho uma tristeza residente que está entranhada em meu corpo, talvez na minha alma.
Penso horas a fio como vencer essa melancolia, essa sensação tão estranha, que nos faz sentir nunca estar bem com ninguém, nem mesmo com nós mesmos. Posso simular o sorriso, tentar fazer passar a mensagem de bem estar, mas seguramente não consigo vencer a minha luta interior.
Tenho momentos do meu dia, em que sinto mais a pressão que em outros momentos, por vezes não consigo conter as lágrimas. Olho em frente, e sinto que o meu olhar não vislumbra mais nada que o espaço, a ausência de som, e por vezes nem a luz solar pressinto.... minha mente vagueia, só o calor dos raios solares aquecendo a pele me fazem lembrar que eu existo.
Tenho uma carência de Fé, de esperança, e tantas vezes "falo" com o criador, Lhe peço o seu conforto, que me alumie meu caminho. As vezes sinto-O, noutras não!.
Vivo a modos que uma clausura, uma "prisão" da alma, do corpo, do sentimento, um castigo que me parece ter sido infligido a partir do Alto, afinal, eu só quero ser feliz, eu só quero viver em amor, sentir paixão, amar, deixar-me amar.
Carrego estas grilhetas, arrasto-as pelo meu caminhar, martirizo meu corpo, não me liberto desta sensação de incomodo que tanta amargura, tristeza me provoca.
Estarei vivendo o meu castigo? Que mal fiz eu se toda a minha vida foi de entrega a causas?
Tanto trabalhei, quase me escravizei, e hoje sinto o erro crasso que isso representou na minha felicidade, acabei prisioneiro de valores materiais que hoje não contribuem para a minha felicidade.
Tanto lutei pelo valor espiritual dos meus afectos, quase arrastei montanhas de dificuldades, lutei contra hipocrisias e valores pre-concebidos ancestrais, afirmei os valores do amor que entendo soberano, superior todas as regras, mas sinto que perdi..., a hipocrisia, o cinismo são efectivamente muito fortes, e acho que menosprezei sua força.
Contudo também carrego o sabor do bem estar amoroso, da minha luta sincera naquilo em que eu acreditava e acredito, e só o amor em cabe.
Estou numa fase da vida em que tanto aprecio um afecto, um laço de amor, de bem estar, e talvez a minha hiper-sensibilidade me esteja a penalizar, mas eu acredito que vou vencer, e sentir a paz, a felicidade, o amor pelo qual tanto lutei e luto.
Tenho o amargo do desgosto, da tristeza avassaladora, do frio que que gela meu coração, a sensação eterna da vontade de chorar.
.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Reflexão sobre mim...


Agora que o silencio magoa, que as sombras se adensam, que as dúvidas maiores são, que posso eu fazer?
Tenho uma sensação pesada de espaço, de um pedaço de vida que em mim falta. Sou o pássaro livre que nunca soube voar!!!.
Tenho as sensações do bem querer, bem desejar no meio a não saber o que fazer, se virar costas, ou chorar.
Nunca pensei experimentar estas dores da alma, estas angustias que me atormentam o caminhar. Tem sido comum dar comigo a falar com Deus, e todas as individualidades que julgo estarem presentes junto a mim... estarei senil?
O meu desejo intenso, o meu querer determinado fazem do meu dia uma luta de pensar, requer a ajuda, o milagre da minha dor e, dias tenho em que me sinto embriagado pelo exercício do pensamento, das "viagens" a que me sujeito como querendo entrar na "máquina do tempo".
Queria estar calmo, em paz, e ter vontade de sorrir, poxa,... mas que difícil é!!!!.
Será que encontro no martírio, a minha paz?
Será que encontro nesta dor o meu alimento, a forma de vencer?
Não sei....
Eu tenho a vontade indómita de vencer, e tenho feito descobertas incríveis sobre mim mesmo....., eu sinto que não sou igual, que não faço parte das estatísticas comportamentais dos sociólogos, pois eu tendo a contrariar os modos tidos como normais, nos comportamentos, eu demonstro que o meu querer é mais que tudo, o grito de uma paixão que não morre, mesmo que eu pense o contrário.
Eu sou a verdade viva, de que quando se sente afecto, ele não se apaga, não desaparece como o fumo, mas fica, porque "aquilo que a memória amou, fica eterno!!!".
Passo tempos duros, tão difíceis de vencer, e teimosamente insisto mesmo que isso me doa, e me faça passar mal, mesmo mal, pois é preferível "sofrer por amor a nunca ter sido amado!!!."
Aceito as Tuas decisões Deus, e ajuda-me a suportar esta mágoa, esta tristeza incrustada na minha carne, mas não permitas que meu coração endureça, e se torne granítico, duro, impenetrável ao sentimento, ao amor, mesmo que isso seja, o melhor caminho para continuar a sofrer....
.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Te Procuro, Por vezes Te vejo...


Deus
Deus costuma usar a solidão
para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer
nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer
nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
nos mostrar a importância da vida.
Autor: Fernando Pessoa




~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~





Os meu tempos vão difíceis, vão duros, carregados pelo sentimento de vácuo, de nada ouvir em meu redor, nem mesmo o vento que por mim passa.
O meu olhar vazio, tenta encontrar o vulto que de mim foge, e que me atormenta o espírito.
Frequentemente, dou por mim chorando, falando sozinho, e acredito que vivo os momentos da pré-loucura, da insanidade, e irracionalidade do meu cérebro esquentado.
Dos amigos que tenho, das palavras que me são ditas, das amizades que me são dadas eu faço alimento, sentindo que mesmo por aí a desdita me atormenta.
Falo com Deus, de suplicas e venturas peço, não tenho a certeza que ouvido seja, mas teimoso que sou, não desisto.
Sabes meu Deus, meu amigão, eu Te procuro, olho as esquinas do meu caminhar, tentando ver-Te por entre as quelhas das vielas de minha vida, e por vezes juraria que Te vi, como que brincando com minha presença, mas não tenho a certeza.
Faz para mim um milagre, deixa que nem que seja por um só momento eu te possa visualizar, sentir a Tua transparência, o teu Halo de Luz.
Toca-me, dá-me um ralhete, diz-me algo, pois só assim eu serei feliz!!!
Não sou um exemplo típico de santidade, bem sei, mas Tu também sabes que assim me fizeste, e me dás a chance de escolher..., e, eu queria escolher!!!.
Livra-me desta sombra teimosa que me persegue, desta companhia que não escolhi, desta dôr que me tortura..., deixa-me sorrir.
Se pecador sou, que confesso, também perdão Te peço, e sei que o vou sentir, ou não sejas Tu o Pai, o Criador de todas as coisas, o omnipresente, omnisciente, infinitamente misericordioso.
Todo o pai ama seus filhos, e eu aqui, te peço Pai.... escuta-me, atende meu pedido, faz-me sentir que tudo na vida tem sentido, e um fim.... ou seja, Te encontrar, e aprender a sorrir, feliz!!!.
Tu és amor, Tu és vida...., quem ama, Teus desígnios cumpre.
Ámen!
.